A abordagem integral guia as ações da gestão de saúde, proporcionado um atendimento humanizado e individualizado.
A abordagem integral guia as ações da gestão de saúde, proporcionado um atendimento humanizado e individualizado.

Para melhorar a qualidade de vida, surgiu o conceito de cuidado integrado, que coordena toda a atenção de saúde prestada a um paciente desde o nascimento até a velhice.

 

A abrangência vai desde orientações e cuidados básicos passando por ações de acompanhamento da jornada de saúde do paciente e procedimentos de baixa e alta complexidades.

 

A gestão do cuidado integrado acredita em uma saúde holística e investe em prevenção, envolvendo equipes médicas e de outros profissionais de saúde, tais como: psicólogos, nutricionistas, fisioterapeutas e fonoaudiólogos

 

Dentre os benefícios, está a redução do número de internações, principalmente dos portadores de doenças crônicas, uma vez que o modelo atual de modo preventivo e com foco na saúde e, não, na resposta à doença.

Uma nova abordagem na área da saúde

 

Cada vez mais, surge a necessidade de repensar o modelo de atendimento à saúde, buscando a qualidade por meio da humanização das relações e de uma abordagem individualizada, que entende as demandas de cada um e seu respectivo histórico médico para buscar um acompanhamento mais acolhedor, seguro e assertivo e que, realmente, foque na jornada do paciente.

 

O cuidado integrado em saúde chega exatamente com este objetivo e com a intenção de otimizar a prevenção de doenças, promovendo saúde e bem-estar e possibilitando uma recuperação mais rápida, caso o paciente adoeça, pois ele sai do papel de coadjuvante e passa a ser protagonista no processo de cura/reabilitação.

 

Deste modo, as diretrizes do cuidado de saúde não ficam mais centradas exclusivamente na figura do médico – que, até então, aparecia, esporadicamente, nos momentos de crise. Agora, passamos a levar em conta as necessidades e o perfil do próprio paciente, estando ao seu lado na jornada rumo a qualidade de vida. As condutas relacionadas à prevenção/promoção de saúde e ao tratamento passam a ser realizadas de forma harmônica envolvendo uma equipe multiprofissional que conduz, de forma conjunta, o processo de cuidar.

 

A medicina deixa de ser uma prática pontual e emergencial e passa a ser vista como um conjunto de ações que visam a atenção continuada: o paciente vem do atendimento primário, mesclando consultas presenciais e online e, quando necessário, passa a ser acompanhado por uma equipe que envolve médicos especialistas, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, fonoaudiólogos e psicólogos durante todas as fases de sua vida. Aliás, o foco na integralidade deve guiar as ações de gestão de saúde, o que constitui o princípio norteador para alcançar a dimensão cuidadora ao articular as práticas dos diferentes profissionais de saúde.

 

A equipe diversificada promove uma assistência individualizada e a minimização das repercussões psicológicas, auxiliando no acolhimento emocional. E a tecnologia vem para conectar as várias frentes de atendimento, proporcionando o diálogo entre todos e garantindo que o histórico médico do paciente, assim como resultados dos exames e tratamentos já realizados possam ser guardados de forma digital para que informações importantes não sejam perdidas durante a jornada. Assim, a equipe multiprofissional responsável pelo atendimento tem acesso prévio às informações de saúde e pode, a partir daí, oferecer uma assistência mais segura e acolhedora.

 

Este novo olhar sobre o outro, muito mais holístico, é construído cotidianamente com o intuito de proporcionar mais bem-estar e qualidade de vida e minimizar a condição geradora de sofrimento. Ao mesmo tempo, uma nova forma de gestão da saúde integral vai crescendo paulatinamente conforme a relação entre pacientes e profissionais de saúde é estabelecida e o vínculo é fortalecido, combinando aspectos objetivos e subjetivos para cuidar da saúde física e psicológica dos usuários.